segunda-feira, 31 de março de 2014

A descoberta das Minas do Paranapanema

A descoberta do ouro na nossa região aconteceu no começo do século XVIII, por Miguel de Barros e João Fernandes Távora ambos da Vila de Sorocaba, embora ja havia relatos de exploração de ouro no fim do século XVII, no Vale do Ribeira, mais precisamente em Iporanga e Ivaporunduva ambos locais estão localizados as margens do Rio Ribeira de Iguape, o que possivelmente facilitou a entrada por embarcações, ao invés de desbravar as florestas montanhosas das nascentes do Rio Paranapanema.


Em carta ao El-Rei de Portugal Dom João V, datada de 26 de Novembro de 1717, o ouvidor-geral de São Paulo Raphael Pires Pardinho menciona o seguinte acontecimento: 


"a 21 do dito mês lhe mandara dar parte Miguel de Barros, morador na vila de Sorocaba, que indo com João Fernandes Tavora às cabeceiras do rio Paranapanema, nelas descobrira algumas faisqueiras de ouro e que a amostra enviada, examinada pelos práticos de Minas Gerais, foi considerada igual ao ouro do Ribeirão do Carmo."

Pardinho encaminhou a mesma mensagem ao Conde de Assumar, repondendo-lhe em carta datada da vila de São José, a 1 de Agosto de 1719, mas foi o Governador Geral da Capitânia de São Paulo Rodrigo Cézar de Menezes quem realmente deu importância a esses descobrimentos.

Segundo alguns documentos da época, apontam  João Quaresma de Almeida, Domingos Vicente Luiz, Antonio da Cunha de Abreu e João Coelho Duarte como novos descobridores de ouro na região. 

Domingos Vicente Luiz foi nomeado guarda-mór, em 1724, substituído por João Quaresma de Almeida, Diogo de Toledo Lara foi nomeado como Capitão-mór Regente em 1725 mais tarde substituído por Antonio Camargo Ortiz, (considerado homem violento e rigoroso), que em 1727 foi sucedido por Antonio da Cunha de Abreu, deixando o cargo no ano seguinte, passando-se para São Paulo, onde foi eleito Juiz ordinário  e posteriormente nomeado provedor do registro de Mogi do Campo, em 1733 nas Minas de Goias, cargo exercido por muitos anos. 

Em 1728 Bernardo Antunes de Moura foi nomeado Capitão-mór Regente, substituído pelo português João Coelho Duarte, qual havia vindo das Minas Gerais com muitos escravos, essa patente foi passada pelo Governador Geral da Capitânia de São Paulo Antonio da Silva Caldeira Pimentel, durante sua estadia no Arraial das Minas do Paranapanema (antigo Arraial Velho). (Fonte IHGB).



Minas do Paranapanema 

Nenhum comentário:

Postar um comentário